22 de maio de 2017

Série: Perguntas nos Salmos: “Onde está o teu Deus?”


A vida tem seus altos e baixos, ninguém fica todo o tempo no topo. Uma hora ou outra as posições mudam, temos de descer aos vales e passar pelo que os Puritanos chamavam de “a noite escura da alma”, expressão usada para se referir aos períodos de abatimento espiritual.

O Salmo 42 é um belíssimo cântico de lamento individual, sendo muito provável que tenha sido composto por Davi quando ele estava fugindo de Absalão e buscou refúgio no deserto.

Esse Salmo expressa o ardente desejo que sentia pela presença de Deus na adoração pública, mas também, seu abatimento espiritual e a sua luta contra a profunda tristeza que assolava sua alma. Ele começa declarando a imensa necessidade que sentia da presença divina:

“Assim como a corça anseia pelas águas correntes, também minha alma anseia por ti, ó Deus. Minha alma tem sede de Deus, do Deus vivo; quando irei e verei a face de Deus?” (v. 1, 2)

Claramente, Davi se sentia privado da presença de Deus e apresenta isso em uma comparação com a agonia decorrente da sede que um animal sente quando está longe das águas, em um ambiente de seca extrema, desfalecendo pela necessidade premente de saciar-se em ribeiros abundantes.

Ele diz chorar continuamente enquanto lhe fazem a mais dolorosa das perguntas:

“Minhas lágrimas têm sido meu alimento dia e noite, enquanto me dizem a toda hora: Onde está o teu Deus?” (v. 3)

A confiança que ele tinha em Deus aqui é questionada por seus inimigos, pois quando os caminhos de Deus se tornam inescrutáveis, aqueles que confiam n’Ele são, por vezes, ridicularizados. Como em meio ao sofrimento, continuar esperando por um Deus que parece estar longe e não se importar?

Tendo que lidar com questionamento tão cruel, Davi então busca alívio em lembranças de um passado de alegria e prazer, mas mesmo essa doce recordação lhe traz sofrimento ao compará-la com sua situação presente:

“Derramo a minha alma dentro de mim, ao lembrar-me de como eu guiava a multidão em procissão à casa de Deus, com gritos de alegria e louvor, multidão em festa.” (v. 4)

Seu coração sentia uma angustiante saudade dos dias da adoração pública, em que junto com outros servos do Senhor, explodia de alegria ao render louvor ao Altíssimo, e na situação em que se encontrava isso não era possível.

Ele, então, questiona sua alma por se encontrar em tão profunda tristeza:

“Por que estás abatida, ó minha alma, por que te perturbas dentro de mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei, minha salvação e meu Deus.” (v. 5)

Mesmo com tantas perturbações, o salmista se esforça para não deixar sua alma sucumbir diante do sofrimento e da desesperança, chamando-a reiteradamente a esperar (confiar) em Deus, porque ele é a sua salvação.

Nos versículos seguintes, ele continua expondo poeticamente o lamento de sua alma, e conclui no versículo 11, que é uma repetição do versículo 5 (os versículos 5 e 11 são o refrão do salmo), apontando o que deve fazer diante de sua sofrida situação, do escárnio de seus adversários e do aparente abandono do Senhor: “Espera em Deus...” É a ordem dada a sua alma. Ele transforma seus anseios, tristezas e perturbações em fé resoluta e esperança no Grande Deus.

A situação do salmista não é estranha a nenhum cristão. Nós também passamos por horas que se arrastam insuportavelmente, nos levando a perguntar: Onde Deus está? Porque nos momentos mais difíceis temos a impressão que Deus desaparece? Porque nas situações em que mais nos conscientizamos do quanto precisamos d’Ele, parece que Ele simplesmente não está ali conosco? Porque nas noites mais escuras o brilho de Sua presença parece está tão longe de nós?

Nesses momentos parece que uma voz incrédula sussurra em nossos ouvidos, despedaçando nossos corações: Onde está o teu Deus? Você não confiou n’Ele? E agora, onde Ele está quando você mais precisa? Onde está todo o amor prometido? Todo o consolo que Ele prometeu que daria? Onde está todo o poder para viver acima das circunstâncias? Você não está esperando em vão pela ajuda d’Ele? Porque Ele não te ajudou? Porque um Deus bom deixaria você passar por isso?

Essa tensão em nosso íntimo faz com que as doces e consoladoras promessas do nosso Deus, que estão na Bíblia, pareçam estar muito longe da realidade; pelo menos, da nossa realidade. Parece que não são verdadeiras, que são apenas palavras, nada mais que palavras. Percebam que a luta do salmista era entre o que ele sentia e o que ele sabia. Ele sentia nostalgia (v. 1, 2), dor (v. 3), abatimento e perturbação (v. 5), e, ele sabia que Deus é bom (v. 8), que é a sua salvação e a sua rocha (v. 5, 11).

O que fazer então, quando nossas certezas parecem estar sendo engolidas pelo oscilante e perturbado mar dos nossos sentimentos? Quando a verdade que Deus nos deixou em Sua Palavra está em conflito com o que sentimos? Quando a incredulidade debocha de nós e as gargalhadas nos pergunta: “Onde está teu Deus?”

Esse Salmo nos orienta a exercitar nossa fé quando o salmista ordena a sua própria alma: “Espera em Deus”. Ele está dizendo: Não importa o que estás sentindo, coloque sua confiança em Deus e seja guiada por essa confiança obstinada n’Ele, não por sentimentos.

A vida cristã deve ser regida pela fé, não pelo que sentimos. A fé odeia olhar para os nossos sentimentos, ela só está segura quando fixada em Deus. O Senhor disse que nunca se esqueceria de nós e que sempre estaria conosco (Is. 49.15 / Mt. 28.20). Portanto, não importa se sentimos que Deus está longe de nós, Ele disse que não está e isso deve ter mais peso que os nossos sentimentos oscilantes.

Precisamos decidir, resolutamente, confiar em Deus, pois é exatamente isso que o Senhor requer de nós. Elisabeth Elliot, falando sobre as circunstâncias que levaram a morte de seu marido, Jim Elliot, disse:

“Quanto mais eu velha eu fico mais totalmente convencida sou de que Deus sabe o que está fazendo. Ele nos ama com amor eterno e Ele quer que confiemos n’Ele.”

É isso! Deus quer que confiemos n’Ele! E são nos momentos mais difíceis de confiar que nos são dadas as oportunidades de exercitar e fortalecer nossa fé. São nesses momentos que podemos saber das reais condições que se encontra a fé que professamos. Esperar em Deus é o mesmo que confiar n’Ele, e a Bíblia diz algo lindo e encorajador sobre isso:

“... Desde a antiguidade não se ouviu, nem com os ouvidos se percebeu, nem com os olhos se viu outro Deus além de ti, que trabalha em favor daqueles que nele espera.” (Is. 64.4)

Portanto, quando os sentimentos começarem a gritar por imediatismo e a incredulidade chegar sorrateiramente perguntando: Onde está o teu Deus? Exercite sua alma a responder: Está trabalhando por aqueles que confiam n’Ele, e eu confio n’Ele!

Sonaly Soares

13 comentários:

  1. Que Deus continue a abençoar sua vida.Um lindo texto pra começar a semana confiante nas promessas dAquele que sempre está conosco. Aguardando desde já os próximos texto dessa nova série! Beijoos 😘

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amém, Rayssa!

      Que o Senhor nos dê sua graça consoladora.

      Um abraço!

      Excluir
  2. Exercitar nossa Fé é não é fácil,mas é uma pequenina resposta de amor e confiança em nosso Deus! Obviamente não chega nem perto da maior prova de amor:Cristo na Cruz recebendo toda irá que era para nós,e depois ressurreição, Glorificado pelo Pai , por cumprimento do imerecido favor 😍

    ResponderExcluir
  3. tudo o que eu sentia foi expresso aqui... e fui fortalecida! Obrigada, e que Deus aumente a nossa fé!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Glória a Deus por isso! Que Ele continue a demonstrar a Sua graça em ti.

      Abraço!

      Excluir
  4. Parabéns texto enriquecedor.Um exercício diário para a vida cristã pois na sua palavra o Senhor diz:"o justo viverá por fé. Não é fácil esse aprendizado mas com a graça do nosso Deus conseguiremos fundamentados em Hebreus: 11:1.Que Deus abençoe ricamente sua vida.

    ResponderExcluir
  5. Graças a Deus por esta rica reflexão. Confiar em Deus não vem nos momentos fartos, felizes (seria muito fácil não é verdade), confiar em Deus está presente nos momentos que muitos não estão preocupados em estender a mão, situações com sentimentos de solidão, lendo esta rica passagem tenho certeza que nunca estamos ou estaremos sozinhos, Ele tem o controle de todas as coisas. Graça e paz.

    ResponderExcluir