13 de fevereiro de 2017

Crescendo na imagem de Jesus Cristo


O pastor e teólogo John Stott em todas as manhãs costumava orar ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo da seguinte forma:
“Pai celestial, oro para que neste dia eu viva em tua presença e lhe agrade cada vez mais. Senhor Jesus, oro para que neste dia eu tome minha cruz e lhe siga. Espírito Santo, oro para que neste dia tu me enchas de ti mesmo, e faça com que teu fruto amadureça em minha vida: Amor, alegria, paz, paciência, benignidade, bondade, fidelidade, longanimidade e domínio próprio.”

Então, uma das petições de John Stott, todos os dias, era que o Senhor amadurecesse nele o fruto do Espírito Santo, conforme descrito em Gálatas 5:22-23. Não é de se admirar que muitas pessoas tenham dito que ele era um dos mais semelhantes a Jesus que elas conheceram! Porque todas as características do fruto do Espirito Santo se encontram de maneira perfeita no caráter do Senhor Jesus, e ao cultivarmos este fruto, estamos nos tornando semelhantes a Ele. É justamente isso o que o Senhor deseja de nós: que sejamos conforme a imagem do Seu Filho. Sobre isso o renomado John Stott afirma que:

“Deus quer que seu povo se torne semelhante a Cristo. A vontade de Deus para o seu povo é que sejamos conformes à imagem de Cristo.”

Podemos dizer que a conformidade com a imagem de Cristo é a vontade de Deus para o seu povo, vontade esta que nasceu em Sua perfeita soberania, num tempo que se chama antes da fundação do mundo, para todos os que haveriam de ser salvos nEle, por Ele, e para Ele, pela Sua graça.
“Sabemos que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito. Porquanto aos que de antemão conheceu, também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, "a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos.” (Romanos 8:28-29)
Todas as coisas, quer sejam boas ou más, incluindo aquelas que consideramos insuportáveis, atemorizantes e sombrias, estão de alguma forma caminhando em direção ao propósito de Deus, pois Ele está operando sobre elas. Podemos ter essa certeza, nós “sabemos”, mesmo que não vejamos diretamente isso, que Deus está agindo em tudo, para o nosso bem. O nosso bem é sermos conformados à imagem de Jesus Cristo, e todas as coisas estão trabalhando juntamente para esse fim, que foi por Ele determinado. Pois segundo o texto, o Senhor nos predestinou para “sermos conforme a imagem de seu Filho” (Rm 8:29), logo, a conformidade com a imagem de Cristo é algo que adveio de tempo eternos, e que se concretiza no tempo presente . Quanto ao futuro, temos a seguinte promessa:
“Sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele, porque haveremos de vê-lo como ele é.” (I Jo 3:2)

Seremos como o nosso Senhor Jesus, pois O veremos tal como Ele é! Aprouve ao Pai lhe dar a preeminência, “a fim de que Ele seja o primogênito entre muitos irmãos” (Rm 8:29). Em Adão, veio uma humanidade advinda do pecado, com a imagem e semelhança de Deus obscurecida, mas em Cristo, o segundo e último Adão, veio uma nova humanidade, com a imagem e semelhança de Deus restaurada! Ele veio iniciar uma nova raça, e “foi do agrado do Pai que toda a plenitude nele habitasse” (Cl 1:19).

É em Cristo que pecadores alienados de Deus podem ser regenerados e reconciliados com Ele mesmo, saindo das trevas para a Sua maravilhosa luz, do estado de condenação para a justificação, e da imagem distorcida para a imagem restaurada; e embora continuem falhos, estão sempre progredindo gradativamente no caráter cristão, desenvolvendo neles o caráter de Alguém infinitamente maior durante todo o tempo de suas vidas.

“E todos nós, com o rosto desvendado, contemplando, como por espelho, a glória do Senhor, somos transformados, de glória em glória, na sua própria imagem, como pelo Senhor, o Espírito”. (II Co 3:18)

Este trabalho é obra do Espírito Santo, Ele nos transforma “de glória em glória”, na imagem do Filho de Deus. Gosto da ilustração que William Temple faz sobre isso, falando sobre Shakespeare:

“Não adianta me darem uma peça como Hamlet ou O Rei Lear e me mandarem escrever algo semelhante. Shakespeare era capaz, eu não. Também não adianta me mostrarem uma vida como a de Jesus e me mandarem viver de igual modo. Jesus era capaz, eu não. Porém, se o gênio de Shakespeare pudesse entrar e viver em mim, então eu seria capaz de escrever peças como as dele. E se o Espírito Santo puder entrar e habitar em mim, então eu serei capaz de viver uma vida como a de Jesus”.

O Espírito Santo habita em nós, fazendo aquilo que nunca conseguiríamos fazer com as nossas próprias forças, operando a vontade do Pai e glorificando ao Filho. Se o Espírito Santo habita em nós, então podemos viver uma vida como a de Jesus.

“Ora, como recebestes Cristo Jesus, o Senhor, assim andai nele.” (Cl 2:6)

Precisamos ser como Ele! Seguindo os Seus passos, imitando o Seu exemplo, desenvolvendo a Sua vida em nosso viver, e cumprindo a Sua vontade ao invés da nossa (I Pe 2:21, Jo 13:15, Fp 2:5). Isso é mais do que ser adepto ao Cristianismo, é ser discípulo. Cabe a todo discípulo ser como o Seu Mestre (Mt 10:25).

Deus está mais preocupado com o que somos do que com o que fazemos. É o nosso caráter o que realmente lhe importa, não o que temos, o que fazemos, ou até mesmo o que passamos. Boas práticas externas não são suficientes quando não oriundas de um coração reto e temente a Ele, ainda que sejam capazes de atrair multidões, o que mais deve nos importar é o que atraí a Ele, mesmo que expresso nos recônditos do nosso silêncio, não visível nem audível pelos sentidos humanos, mas certamente, pelo nosso amoroso Pai, que a tudo sonda e conhece. De que nos vale termos tudo e não termos a Sua aprovação? Deixe-nos com Ele, e o mais já não nos são demasiadamente necessários, somente Ele nos basta!  Quanto ao que passamos, muitas vezes Deus irá permitir que os Seus filhos sofram e enfrentem provações. Isso não é sinal de que Ele não os ama, mas provém justamente do Seu amor, em aprimorar neles, pecadores, algo mais excelente, o caráter de Jesus Cristo, e desenvolver neles a salvação que Ele neles gerou.

O que importa para Deus deveria ser também o que nos importa. Se existe um maior propósito divino, este maior propósito deveria ser o nosso maior anelo. E é o seguinte: sermos conformes a imagem de Jesus Cristo! Que peçamos a Ele, assim como John Stott, todos os dias, que amadureçamos no fruto do Espírito Santo, e assim, progridamos na semelhança de Jesus.

Sempre tenha isso em mente: O que Jesus faria em meu lugar? Se esforce para fazer exatamente o que Ele faria, não se detenha. Ame como Jesus Cristo, perdoe como Ele, sirva como Ele, viva como Ele, e assim, tenha a certeza de que estás crescendo, não nos subsídios do mundo nem das pessoas, mas em agradar ao Dono e Senhor de todo o Universo: Ele é o teu Deus!

Thayse Fernandes

8 comentários:

  1. Vim parabenizar pelo blog.
    Comecei a fazer teologia e estava fazendo pesquisas e achei o blog.Parabéns!
    Deus abençoe!
    www.mulheresdealmacurada.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Glória a Deus, Léia.

      E parabéns pelo curso, que o Senhor te capacite para Sua glória, para o serviço ao Seu povo e ao próximo.

      Um abraço!

      Excluir
  2. Parabéns thayse Fernandes!!texto maravilhoso!!parabéns a todos do blog tb!!que Deus continue abençoando vcs!!👏🙏👏🙏

    ResponderExcluir
  3. "Aquele que está em Cristo deve andar como Ele andou". Ótimo texto e muito inspirador!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Larissa, precisamos andar como nosso Senhor.

      Um abraço e obrigada pelas palavras gentis.

      Excluir