2 de janeiro de 2017

Comece o ano bem: Foque no que realmente importa


“Não atentando nós nas coisas que se vêem, mas nas que se não veem; porque as que se vêem são temporais, e as que se não vêem são eternas.” (II Co 4:18)

Mais um ano se inicia, trazendo consigo mais uma vez a expectativa do novo, e da mudança de vida que tanto queríamos obter. Cortes de cabelo, roupas novas, estilos novos, amigos novos, reformas na casa, dentre várias outras coisas, nos mostram que nos preparamos para um novo tão almejado, mesmo que as vezes não muito acreditado, em nosso interior. Mas sonhamos. E juntamente com as expectativas, vem os planos e as metas, do que fazer e do que conseguir nesse ano conseguinte. Pensamos e labutamos no que imaginamos ser o melhor para as nossas vidas, e nos esforçamos em cumprir o que planejamos, para que o nosso ano seja, de fato, proveitoso.

Mas, algumas vezes, sobrevirão em nosso ano situações indesejáveis que não estavam nos nossos planos, pois elas são imprevisíveis, fugindo assim do nosso controle, e nos deixando atribuladas. É tão fácil nos perturbamos quando as coisas não acontecem do jeito que esperávamos que acontecessem! E como tendenciosas que somos a fixarmos os nossos olhos naquilo que se veem, esmorecemos diante dessas situações.

O apóstolo Paulo, no texto citado acima, nos traz uma grande verdade: Precisamos fixar os nossos olhos naquilo que eles não conseguem ver, ou seja, nas coisas eternas. São nelas que deve estar a nossa atenção, a nossa concentração, e a nossa esperança. Ele já dissera antes que não desfalecêssemos, ou como em outras traduções, que não desanimássemos; mas pelo contrário, mesmo que o nosso corpo exterior se corrompa, o nosso homem interior se renova de dia em dia (II Co 4:16). O nosso corpo vai desvanecendo com o passar do tempo, com a velhice, as enfermidades e dificuldades; mas o nosso espírito se renova de dia em dia, não podendo assim ele mesmo se corromper como pode acontecer com o nosso corpo; e ao contrário deste, o nosso espírito vai progredindo, amadurecendo, e dia a dia sendo renovado.

As nossas tribulações são retratadas pelo apóstolo dos gentios como leves e momentâneas, quando comparadas com que está sendo produzido, o eterno peso de glória, que está acima de toda comparação (II Co 4:17). É claro que as tribulações de Paulo não foram leves, ele passou por diversas situações, em muitos contextos, chegando até a desesperar da vida, e nessa carta de II Coríntios ele cita algumas delas (II Co 1:8-9, 2:4, 6:4-10, 11:23-28). E elas perduraram em toda a vida dele, não sendo com isso momentâneas, porém, os olhos de Paulo não estavam nessa vida, de forma que ele conseguiu lidar com tudo o que passou, considerando apenas leve e momentâneo, por causa do que estava sendo produzido nele, e no que haveria de vir! (Rm 8:18).

Em um prefácio que John Piper faz em uma canção¹, ele diz algo que acho muito interessante:

“Não apenas a sua aflição é momentânea, não apenas a sua aflição é leve em comparação com a eternidade e a glória de lá, mas tudo é muito significativo. Cada segundo da sua dor causada pela natureza caída, ou pelo homem caído, cada segundo da sua miséria no caminho da obediência está produzindo um tipo peculiar de glória que você terá por causa disso. Não me importa se foi o câncer ou uma crítica. Não me importa se foi calúnia ou doença. Não foi sem sentido. Está produzindo algo, não é sem sentido. É claro que você não consegue ver o que está produzindo, mas não olhe para o que é aparente.”

Que possamos iniciar o nosso ano com os olhos voltados para a eternidade, que peçamos isso ao Senhor, como Jonathan Edwards clamava: “Grave a eternidade nos meus olhos”. Quando isso acontecer, estaremos mais habilitadas para os desafios que nos sobrevierem.

Cabe ressaltar que não estamos prejudicando a nossa vida presente, quando pensamos na nossa vida por vir. Como C.S. Lewis² afirma:

“Se você estudar a história, verá que os cristãos que mais trabalharam por este mundo eram exatamente os que mais pensavam no outro mundo. Os apóstolos, que desencadearam a conversão do Império Romano, os grandes homens que erigiram a Idade Média, os protestantes ingleses que aboliram o tráfico de escravos – todos deixaram sua marca sobre a Terra precisamente porque suas mentes estavam ocupadas com o Paraíso. Foi quando os cristãos deixaram de pensar no outro mundo que se tornaram tão incompetentes neste aqui.”

Quando desviamos os nossos olhos do outro mundo, estamos os concentrando neste mundo, que segundo a Palavra de Deus é passageiro e ilusório (Is 51:6, Mt 24:35, I Jo 2:17). Além disso, nos tornamos incompetentes nessa vida, não vivemos pelo que realmente importa, antes, fincamos nossa esperança aqui, com o temor de a qualquer momento perder tudo. Não entendemos ainda a nossa identidade, de peregrinas e forasteiras (I Pe 2:11), que não pertencem a este mundo (Jo 17:14, 16), mas que caminham em direção à sua verdadeira pátria (Fp 3:20-21), e que não precisam temer a perder tudo, porque sabem que o que vão ganhar compensa abundantemente qualquer perda, pois como Paulo disse, “para mim o viver é Cristo, e o morrer é lucro.” (Fp 1:21).

As coisas mais reais são as que não conseguimos ver, e segundo o versículo supracitado, elas são eternas!

“O mundo invisível é o mais real e mais importante, enquanto que o mundo visível está se desvanecendo.”³  

A verdadeira realidade está no invisível e no intangível, que somente pela fé podemos alcançar (Hb 11:1). Onde temos concentrado os nossos olhos? Comecemos o ano bem: foquemos nas coisas que não se veem, foquemos nas coisas eternas!


Thayse Fernandes
___________________________________

¹ Though You Slay Me (feat. Pr. John Piper). Disponível traduzido: https://www.youtube.com/watch?v=EBkdaD6aWbY.  
² LEWIS, C.S. Cristianismo puro e simples. São Paulo: PDL, 2005.
³ GENEBRA, Bíblia de estudo. São Paulo e Barueri: Cultura cristã e Sociedade Bíblica do Brasil, 1999. 1728p.

9 comentários:

  1. Como eu amo a palavra de Deus! Maravilhoso texto♡

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amém, Cinthia!

      Que o seu prazer continue estando na Palavra, meditando nela em todo tempo, sendo assim, bem-aventurada (Sl 1:1-3).

      Que o Senhor te abençoe

      Excluir
  2. Que texto edificante! As citações muito pertinentes. Obrigada por nos ajudar a crescer e a aprender!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amém, Olindina!

      Obrigada pelas palavras de estímulo. Nos alegramos bastante ao ver o vosso crescimento no Senhor. Louvemos a Ele por Sua maravilhosa graça!

      Abraço

      Excluir

Poderá gostar também

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...