28 de outubro de 2016

Série: A luta pela pureza - Contra a sensualidade e o erotismo.


Na sociedade permissiva em que estamos inseridas, somos bombardeadas com apelos depravados e deturpados do propósito de Deus, para o qual fomos criadas. Diversos são os recursos midiáticos para explorar e despertar a sensualidade e o erotismo dos nossos corpos. O sexo foi desviado do seu objetivo alicerçado por Deus e passou a ser um item à disposição de propagandas, a ser comercializado frivolamente e pervertidamente nesse mundo contemporâneo. O autor Jaime Kemp, dispõe que:

“Ninguém passa um só dia sem ser confrontado com um apelo aos desejos e ao apetite sexual. Propagandas de todo o tipo usam o sexo para obter a atenção das pessoas e vender os seus produtos. O estímulo aos impulsos sexuais é constante e muitos procuram proteger-se, tentando controlar seus pensamentos, sentimentos e cobiça.”1

Nesse segundo texto da Série "A luta pela pureza”, trataremos sobre a sensualidade e o erotismo. O conceito de sensualidade constitui-se em “Propriedade do que é sensual” e o conceito de erotismo,  “Em que há sensualidade; excitação física ou sexual”. Podemos verificar na Bíblia que a sensualidade e o erotismo dentro do casamento são permitidos para ambos os cônjuges (Cânticos dos Cânticos 1.8-16). Pois, para a mulher casada não é pecado despertar desejos em seu marido. Um exemplo comum, é usar uma lingerie, que pode estimular o erotismo no cônjuge. No entanto, ressalto que nem tudo que desperta os estímulos sexuais é permitido, mesmo dentro do casamento. Podemos usar como exemplo filmes pornográficos, como não sendo um modo digno de estimular o companheiro (a pornografia será tratada no próximo texto da série).

A Bíblia também retrata que a sensualidade e o erotismo, fora dos laços matrimoniais, configuram como pecado, pois, a mulher solteira que usar da sensualidade e do erotismo (ou a casada que os usa para estimular outro homem que não seja seu marido) estará despertando no próximo, seja namorado ou amigo, um prazer do qual nenhum rapaz irá desfrutar com dignidade diante de Deus (2Timóteo 2.22). Esses pecados de impureza sexual, pouco são exortados e explicados, entretanto, iremos analisar de maneira sucinta e coesa a sensualidade e o erotismo na vida, tanto das mulheres solteiras, quanto na das casadas à luz da Bíblia.

No plano da criação humana, o Senhor aduz que o sexo faz parte de sua criação, e assim foi concedido ao homem e à mulher que ambos desfrutariam do ato sexual na consonância do matrimônio, para que seja prazeroso entre os cônjuges (Provérbios 5.18-19), para que ambos tornem-se um só corpo (Gênesis 2.24) e para a constituição da família (Gênesis 1. 28). Portanto, a Bíblia assevera que o ato sexual é um prazer a ser desfrutado com a celebração do matrimônio e somente entre os cônjuges, visto que, a Bíblia mostra que antes do casamento, significa o pecado da fornicação (1 Coríntios 6.13,15,18) e fora do casamento, o pecado do adultério (Êxodo 20.14; 1 Coríntios 7.2). Conforme preceitua Paumarisa Vieira:

“Deus criou o homem e a mulher com aspectos físicos, emocionais e espirituais, que exigem satisfação um com o outro. A sexualidade é um dom de Deus, e foi planejada para nos tirar de nós mesmos e nos impelir a buscar um cônjuge. Já, possuímos, em nosso corpo físico, tudo o que necessitamos para ter e dar prazer sexual.”2

Sendo assim, a sensualidade concentra-se em satisfazer o cônjuge e por isso só é permitida para aqueles que contraíram matrimônio, um prazer que somente a mulher casada pode desfrutar com seu marido.

Com a queda, o inimigo de nossas almas, satanás, busca febrilmente perturbar a ordem divina, por todos os meios possíveis, de modo a perverter os princípios de Deus. No livro de Levítico, o objetivo fundamental é mostrar a santidade de Deus e convocar o seu povo à santidade pessoal. Especificamente no capítulo 18, encontramos uma lista de relações sexuais ilícitas, a qual representa admoestações para o povo separar-se da imoralidade dos Cananeus (Levítico 18:2-3). Dessa maneira, apreciamos que mesmo após a queda da raça humana, o Senhor preserva o seu povo e o chama à santidade (Levítico 11:44).
Na carta do apóstolo Paulo aos Coríntios, o mesmo exorta os cristãos a viverem de modo que agradem a Deus, despindo-se da natureza depravada, para ser uma nova criatura em Cristo Jesus. O autor Joshua Harris, assevera que:

“Nos dias de Paulo, escrever aos coríntios sobre o amor de Deus seria o equivalente de hoje a escrever uma carta sobre os valores familiares para Hollywood. 'Coríntio' era um sinônimo de imoralidade. 'Dar uma de coríntio' era entregar-se ao prazer sexual”3

Portanto, como nos tempos do apóstolo Paulo, assim também ocorre atualmente, estamos assoladas em uma sociedade pervertida que abarcou a imoralidade sexual como comercialização para seu sustento pecaminoso. Todavia, a Sã Doutrina, promove uma reconciliação do ser humano pecador com o Deus absolutamente Santo e imutável, o que ocorre somente por meio do sangue redentor de Jesus Cristo. Sendo assim, devemos fugir da imoralidade sexual para não despertar uma sensualidade fora dos padrões de Deus, ou estimular o erotismo por meio da prática sexual, antes ou fora do casamento.

Por conseguinte, o apóstolo Pedro, em sua primeira carta, aponta que o que o formoso na mulher não são os adornos externos, mas a beleza de um coração puro e um espírito gentil, alicerçado na Palavra de Deus. O referido apóstolo enfatiza que a mulher não deve usar da sensualidade de seu corpo, como também não deve buscar erotismo em suas vestimentas, a fim de despertar no próximo um desejo que não irá satisfazer com dignidade diante de Deus. Sendo assim, faz-se necessário estarmos sujeitas ao senhorio de Cristo, buscando santidade e abstendo-nos da imoralidade sexual (1Tessalonicenses 4.3-4) e assim desfrutaremos do Noivo incorruptível que desposará a nós, sua igreja, com o amor que tudo sofre, que tudo crê, que tudo espera e que tudo suporta.

Queridas irmãs, vivamos para usufruir do amor verdadeiro de Deus, o qual nos constrange; e assim não usaremos da sensualidade e do erotismo como práticas de uma sociedade depravada, para denegrir o corpo, que é morada viva do Espírito Santo de Deus (1 Coríntios 6.15). Porém, estejamos sob o domínio próprio, o amor, alegria, paz e paciência, que constituem os frutos de novo nascimento com Jesus Cristo (Gálatas 5.22). Quando Cristo chamou seus discípulos, Ele os orientou a "serem puros como uma pomba e espertos como uma serpente”(Mateus 10.16). Portanto, que haja pureza em nossa conduta em guardar a Lei de Deus e esperteza em se afastar de qualquer tipo de imoralidade sexual, para que assim venhamos a renovar esse mundo pela transformação de nossas vidas, alicerçadas em Deus, nosso Pai. 

Mysia Rebeca
___________________________
1KEMP, Jaime. A arte de permanecer casado: um guia seguro para quem deseja salvar um casamento. P.:108. São Paulo: Hagnos, 2007.
2VIEIRA, P, MARQUES, J, PINTO,RM, BEZERRA, D. A Sexualidade da Mulher Cristã. P.:97. ed.1°. Campina Grande: Visão Cristocêntrica, 2014.
3HARRIS, Joshua. Eu disse adeus ao namoro: uma nova atitude em relação ao romance. P.:40. Editora: Atos.

18 comentários:

  1. Maravilhoso, que Deus nos ajude a vencer a sensualidade, eu como mulher sinto na pele o desejo de querer ser desejada. Parabéns Mysia Rebeca, seus textos tem ajudado-me bastante!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Stella!

      realmente, a luta é grande! Que o Senhor nos ajude a viver de modo puro e agradável ao Seu Espírito que habita em nós.

      Deus te abençoe. Forte abraço!

      Excluir
  2. A paz de Cristo Jesus! Deus abençoes vocês por este rico ensinamento. Deus seja louvado!!! Só venho pontuar um erro, no ultimo parágrafo não exite a referência citada como "Gálatas 6: 24", acredito que quiseram dizer "Gálatas 5: 22"! =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Matheus!

      Obrigada pelas palavras gentis, agradeço a correção, realmente a referência é Gálatas 5:22, corrigi.

      O Senhor te abençoe.

      Excluir
  3. Que a nossa perseverança em conhecer da verdade que nos libertará de todo o mal que vem em diversas formas "doces, atraentes" que saibamos decidir e reter o que é bom. Nosso PAI tem nos ajudado, tem falado ardentemente aos nossos corações. Mais uma vez, agradeço por um texto falar tanto. Que muitas possam ler, compreender a mensagem! Graça e paz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amém, Eva!

      É sempre bom te encontrar por aqui, glória a Deus!

      Deus te abençoe. Um abraço, irmã.

      Excluir
  4. Texto maravilhoso muito enriquecedor.Deus continue abençoando a sua vida e das que fazem parte desse blog

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada!

      Deus abençoe a senhora. Um abraço bem forte!

      Excluir
  5. Estou amando os estudos!!!! Muito claro e útil!!! Esperando pelo próximo!!! Deus abençoe vcs!!! E que Jesus seja o único testemunho de cada um!! Amém por isso!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Quesia!

      Que bom que os estudos estão sendo útil pra você. Agradeço as palavras carinhosas.

      Jesus te abençoe. Um abraço!

      Excluir
  6. Ótimo estudo, muito edificante!! Deus abençoe 🙌🙏

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amém, Thaianny!

      O Senhor também te abençoe.
      Um abraço!

      Excluir
  7. Meninas,
    Estou na expectativa para a edição de hoje!
    Meu carinho na Paz do Senhor.
    Beatriz

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Beatriz!

      Que alegria saber da sua expectativa. Acabei de postar o de hoje.

      Agradecemos o carinho, querida irmã.
      Deus te abençoe. Um abraço!

      Excluir
  8. Nossa que maravilhoso😍 Que Deus possa continuar abençoando vcs! Nossa luta é travada, mas com a ajuda de Deus vamos vencer.Me sinto edificada por esse estudo. Obg mesmo!😘

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Kássia!

      Isso mesmo, com o nosso Deus venceremos! Então coragem e avante nessa luta.

      Deus te abençoe. Um abraço!

      Excluir

Poderá gostar também

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...