11 de julho de 2016

Exercitando-se no amor


Uma das coisas mais belas que existem na vida é o amor. Quatro letras, duas sílabas, apenas uma palavra - mas, que palavra! Apesar de ela ser tão banalizada em nosso meio, tem muito a significar. Banalizada porque pronunciar um “eu te amo” para muitos já não custa tanto, desde que seja a sensação do momento ou apenas um meio para agradar alguém. Significante porque o verdadeiro amor é sobremodo grandioso, sendo capaz de unificar várias emoções ao mesmo tempo, vitalizar relacionamentos indispensáveis e mudar vidas. Como seres sociais, todos precisamos de amor, desde a nossa concepção: Assim revelamos o quanto ele nos é importante.

Em Deus encontramos a verdadeira essência do amor, pois Ele mesmo é amor (I Jo 4:8). Os que têm a Ele têm essa essência em suas vidas, e transbordam em amor diante das outras pessoas. O Senhor Jesus disse que as pessoas conheceriam quem são os seus discípulos da seguinte maneira:

Como eu vos amei a vós, assim também deveis amar uns aos outros. Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros” (Jo 13:34-35).

É interessante que Ele não apenas nos dá o mandamento, mas nos dá o Seu exemplo: “Como eu vos amei a vós”. Ele nos amou! Com um amor perfeito, abnegado, genuíno e altruísta, de tal forma que foi compelido a deixar a Sua glória celeste, se encarnar em figura humana, e a morrer numa cruz, como um maldito, para que pudéssemos ser benditos diante de Deus. Por isso “O amor de Cristo nos constrange” (II Co 5:14). É certo que nunca conseguiremos amar da mesma forma que Jesus, visto que somos humanos imperfeitos, mas uma vez tendo o Seu amor, precisamos nos exercitar nele, não apenas em nossa relação vertical com Deus, mas principalmente em nossa relação horizontal, com os nossos semelhantes.

É de amor que as pessoas precisam, pois como dito anteriormente, somos seres que carecemos dele. O nosso modelo é Jesus, e o verdadeiro amor foi uma vez demonstrado por Ele. Ele nos ensina o quanto precisamos nos esvaziar do nosso orgulho e egoísmo, que muitas vezes nos impede de “dar a vida” pelos outros, e assumir a forma de servo, “tal como o Filho do homem não veio para ser servido, mas para servir.” (Mt 20:28).

A quem devemos amar? “Uns aos outros”. Nisto estão inclusas todas as pessoas. Daí podemos pensar: Amar os que nos amam é até aceitável, mas como poderemos amar alguém que não nos quer bem? Isto nos parece tão difícil e longe de nossa realidade, até lembrarmos quem foi que Jesus amou: pecadores! Pessoas que O desprezavam com suas vidas, que não tinham nada digno para merecê-lo. Pelo contrário. A estes Ele amou imensuravelmente, e disse: “Como eu vos amei, assim também deveis amar uns aos outros.”

Algumas pessoas realmente parecem difíceis de amar. Mas é amando o não amável que autenticamos o nosso amor por Cristo! É amando essas pessoas que nos tornamos como Ele, e provamos que somos de fato Seus discípulos. As pessoas não conhecerão quem são os Seus discípulos por meio de palavras, pregações, ministério ou milagres deles, mas por meio do amor que eles têm pelos seus semelhantes!

Nisto está a nossa marca! Num mundo ególatra e esbanjado em seus prazeres e interesses próprios, preferimos ser diferentes, ser como Jesus, amando uns aos outros, não apenas com palavras, mas também com atitudes. Peçamos ao Senhor que nos capacite a viver assim. Ele nos deu o Espírito Santo, que nos ajuda a progredirmos na semelhança da imagem do Filho de Deus. É como Jesus que queremos ser, não como a maioria pessoas. E embora sejamos minoria, ainda preferimos agradar a Deus. Ele nos deu o Seu amor. Somos completos nEle, satisfeitos em Sua plenitude, e temos uma nova vida que foi criada para o Seu louvor e glória.

Como sei se amo realmente ao meu próximo? C.S. Lewis diz:

“Não perca tempo perguntando-se se você "ama" o próximo ou não; aja como se amasse. Assim que colocamos isso em prática, descobrimos um dos maiores segredos. Quando você se comporta como se tivesse amor por alguém, logo começa a gostar dessa pessoa. Quando faz mal a alguém de quem não gosta, passa a desgostar ainda mais dessa pessoa.” 

Não percamos mais tempo! Amemos ao próximo! “Como eu vos amei, assim também deveis amar uns aos outros.”

Thayse Fernandes

15 comentários:

  1. Glória a Deus! O amor de Cristo é genuíno, mas nós precisamos nos aproximar o máximo desse exemplo maravilhoso! Não é fácil! Amar o outro, exige vencer todo nosso ego! Que Deus continue a nos ajudar...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Ingrid!

      Realmente não é fácil. Amar como Cristo ama requer renúncia a si próprio, mas que o Senhor nos ajude.

      Abraço!

      Excluir
  2. Aleluia!!!

    Obrigada, Oh Altíssimo por nos teres amado, sendo nós pecadores e imerecedores Sua Maravilhosa Graça. Bendito seja Deus, o Pai, que nos reuniu no amor de Cristo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amém Nsauise! Louvado seja Deus por Sua graça maravilhosa.

      Que Ele te abençoe!

      Excluir
  3. A palavra diz que nos precisamos nos esforçar, quem disse que amar é um exercício, acertou. Porque quanto mais praticamos o amor, mais nos tornamos seres melhores, os verdadeiros seres humanos a qual Deus nos chamou! Thayse que Deus continue lhe usando poderosamente em cada publicação. Que o Espirito Santo seja tua inspiração a cada novo dia. Beijos, graça e paz a todas.

    ResponderExcluir
  4. Amém Eva!

    Obrigada pelas palavras, são encorajamento. Deus te abençoe, e nos ajude a nos exercitarmos no amor, crescendo Nele.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  5. Respostas
    1. Obrigada Sâmilla! Que o Senhor te abençoe.

      Abraço!

      Excluir
  6. Texto muito edificante, enquanto lia me lembrei, de que uma fez sofria de grandes calunias da parte de uma das membras da Igreja em que participo, eu fazendo parte da liderança, me sentia incomodada com aquela situação, orava constantemente ao Senhor, para que me desse a graça de me livrar dessa situação, foi quando fui conduzida pelo Espirito Santo a orar por aquela vida e desejar coisas maravilhosas a ela, coisas que eu queria muitas vezes pra mim determinei para aquela vida, a medida que eu orava, as afrontas aumentavam, mas eu estava determinada, e convicta de que a ordem que recebi era de Deus, a mudança ocorreu em poucos meses, não nela mais em mim, aprendi a ama-lá e não vela mais como um problema, mas sim como alguém que me inspira a amar mais a Deus e se assemelhar a Cristo, como assim Ele ordenou. Muitas vezes a mudança que Deus que fazer é em nós.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que linda experiencia, Michele!

      Precisamos que o Senhor nos transforme a cada dia mais na imagem de Cristo, para vivermos como Ele viveu.

      Deus te abençoe. Um abraço.

      Excluir