11 de agosto de 2017

Sem medo de ser sincera


A palavra “sincera” provém de duas palavras do latim: Sin (de sine, sem) + cera. Essa etimologia provém de muito tempo atrás, quando fabricantes de vasos de cerâmica decidiam colocar cera nas trincas ou defeitos dos seus vasos, pintando-os com tinta ou verniz, para que as pessoas ao comprá-los nada percebessem. Porém, à medida que o vaso ia sendo usado, a cera ia derretendo, e logo os defeitos encobertos vinham à tona. Devido a esta situação, foi necessário algo que confirmasse que o vaso não possuía cera, e era usada uma espécie de “selo de garantia ou qualidade”, com a seguinte inscrição: “sine cera”, nos melhores vasos. Isto comprovava que aquele vaso era confiável de ser adquirido, pois não possuía defeitos encobertos com cera.

Existe outra versão para a origem dessa palavra, que é bem semelhante a já mencionada acima.  Diz-se que em Roma os escultores esculpiam suas estátuas de mármore e à medida que algum defeito surgia, cobriam-na com cera, para que ninguém os percebesse ao comprá-la. Sine cera era então, mais uma vez, a garantia de que aquilo que estava sendo adquirido era verdadeiro, sem “cobertura”, autêntico.

É interessante conhecer estas coisas, a fim de que aprendamos com elas. O Senhor nosso Deus espera que nossas vidas sejam “sem cera”, ou seja, sinceras perante Ele, em todos os aspectos - não devemos encobrir nada para Ele.

Não é difícil encontrar à nossa volta pessoas dissimuladas, que encobrem o que de fato são para as pessoas, a fim de serem bem vistas ou aceitas por elas. Elas são semelhantes aos chamados “hipócritas” que são citados na Bíblia, os escribas e fariseus, que exteriormente eram uma coisa, e interiormente outra, e que enganavam muitos com suas boas obras e religiosidade assídua. Mas Jesus os reprovava veementemente, porque Ele os conhecia, no mais íntimo do coração, onde os olhos humanos não são capazes de alcançar.

E Ele é o mesmo que nos conhece! Não há nada que o Senhor não saiba acerca de nós, porque Ele tem toda a nossa vida descoberta à Sua vista. Podemos então escancarar livremente diante dEle todos os nossos defeitos, pois afinal, Ele já os conhece muito bem, antes mesmo de O contarmos. Podemos ser transparente diante Daquele que é o mesmo que nos esquadrinha, antes de havermos existido.

Sejamos sinceras diante do Senhor quando errarmos - isto O agrada! Davi em determinado momento de sua vida pecou grandemente contra Deus, mas ao cair em si se arrependeu sobremaneira e fez uma oração de confissão sincera, dizendo: 

“Contra ti, contra ti somente pequei, e fiz o que era mal diante dos teus olhos.” (Sl 51:4).

E Deus ouviu sua oração! Portanto, não temamos, mas recorramos sempre a Ele com todas as nossas falhas, debilidades, fraquezas e pecados, para que alcancemos misericórdia segundo o Seu grande amor que em nós opera.

Sejamos sinceras também ao revelar-Lhe tudo o que estamos sentindo. Somos seres dotadas de emoções, e elas frequentemente variam. Contemos para Deus o que realmente está no nosso coração. Seja alegria, tristeza, medo, esperança, incredulidade ou dúvida, seja o que for - temos liberdade e livre acesso para expor qualquer coisa perante o nosso Deus. Ele não vai tampar os Seus ouvidos, ou se surpreender com qualquer coisa que O digamos, tenhamos sinceridade. O livro dos Salmos está repleto de orações diversificadas, compostas por homens que variavam em situações, em emoções, em desejos e propósitos, mas que não maquiaram o que sentiam, e foram ouvidos por Deus. Joel Beeke¹ escreveu que:

“A oração verdadeira é ornada em palavras, mas seu corpo é sem palavras. É um trabalho do coração. Por isso, Bunyan acertadamente recomenda: ‘Quando orares prefira deixar que teu coração fique sem palavras, do que tuas palavras ficarem sem coração.'”

Ana em determinado momento de sua vida, já não conseguia falar, mas em suas lágrimas orava a Deus: “Ana falava no seu coração; só se moviam os seus lábios, e não se ouvia a sua voz” (I Sm 1:13). Sua oração não foi ouvida pelo sacerdote Eli que a observava, mas foi ouvida pelo seu Deus, e o seu pedido foi concedido, um milagre do Todo-Poderoso!

Deus está mais inclinado em considerar o que somos intimamente, do que com o que falamos ou fazemos. Ele se importa conosco, e quer ouvir de nós mesmas aquilo que é extraído do nosso interior. O segredo da oração eficaz não é notado em belas palavras, gestos ou lugares específicos – tem a ver com o coração. E somente quando formos realmente sinceras é que nossas palavras serão agradáveis a Deus!

Thayse Fernandes
_________________
¹ Marcas da oração verdadeira, por Joel Beeke. Disponível em: www.os-puritanos.com

11 comentários:

  1. Nossa seu texto falou muito comigo, Deus continue te usando grandemente!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amém Priscila! Ficamos felizes por isso.

      Deus te abençoe.
      Grande abraço!

      Excluir
    2. Reflexão maravilhosa, Deus continue a te abençoar grandemente.

      Excluir
  2. Lindo demais! Que o Senhor continue usando grandemente a sua vida! Deus é fiel!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amém, Danielle!

      Obrigada pelo carinho. Glórias ao Senhor por toda graça manifestada em nós.

      Deus te abençoe!

      Excluir
  3. Amém que palavra abençoada, louvo a Deus pelo ministério de vocês!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agradecemos pelas palavras, Joseane

      Que o Senhor te abençoe!

      Excluir
  4. Palavra tremenda, Deus continue as abençoando e usando-as.

    ResponderExcluir