18 de abril de 2016

Os misteriosos caminhos de Deus



A vida neste mundo está envolta de mistérios que às vezes nos fascinam e outras, no entanto, nos perturba a alma. Estamos sempre querendo saber o motivo por trás de tudo o que nos acontece, especialmente, aquilo que nos traz dor e sofrimento. O conhecimento que temos de nossa própria vida é pequeno e imperfeito, razão pela qual, nosso entendimento se mostra tão debilitado para compreender alguns acontecimentos que nos sobrevém.

Mas bem diferente de nós, Deus possui um conhecimento assombroso acerca de tudo, de modo que todas as coisas estão patentes aos Seus olhos. Deus ver o que nós não vemos, Deus sabe o que nós não sabemos e Deus conduz Seu conhecimento na realização de Seus propósitos, de maneira que nós nem sempre podemos compreender. Nesse sentido, os caminhos traçados por Deus, são para nós, um verdadeiro mistério.

Deus administra o seu conhecimento, fazendo com que todas as coisas contribuam para a execução dos seus desígnios e no final tudo redunde em glória para Si mesmo, normalmente a Bíblia chama isso de sabedoria, por isso, quando Deus é chamado de Sábio, o que está sendo dito é que Ele gerencia o Seu saber de forma tão magnífica que sempre resultará em gloria para o Seu Nome e em bem para o Seu povo.

Isaías profetizando aos seus compatriotas, num período sombrio da história do seu povo, escreveu:

“Diz o Senhor: Porque os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos são os meus caminhos. Porque assim como o céu é mais alto do que a terra, os meus caminhos são mais altos que os vossos caminhos, e os meus pensamentos mais altos que os vossos pensamentos.” (Is. 55.8-9)

O profeta está fazendo menção aos planos de Deus em relação a redenção da nação, os pensamentos e os caminhos traçados por Ele para atingir esse propósito são tão sublimes que aquelas pessoas não podiam imaginar, estavam muito acima do entendimento delas, como a distância entre o céu e a terra.

Quando lemos as narrativas da Bíblia identificamos a mão misteriosa de Deus na condução da história tanto de indivíduos com de povos e nações, nós conhecemos o desfecho dessas histórias, mas as pessoas envolvidas nelas não. Elas viveram cada episódio sem saber como seria o próximo, até chegar, finalmente, no último dia de suas vidas nesse mundo.

No início do capítulo 12 de Gênesis, vemos a chamada de Abraão. Deus manda ele sair de sua terra natal, mas a princípio não lhe diz para onde ir, a epístola aos Hebreus constata que:

“Pela fé Abraão, sendo chamado, obedeceu, indo para um lugar que havia de receber por herança; e saiu, sem saber para onde ia.” (Hb. 11.8)

Abraão não podia imaginar, mas seu ato de fé lhe colocaria como um dos personagens mais importantes na história da redenção.

No período em que Davi estava fugindo de Saul, ele teve a preocupação de que seus pais ficassem em um lugar seguro, onde o rei não pudesse lhes fazer mal. Então, ele os levou para ficarem com o rei de Moabe, até que soubesse o que Deus havia determinado para sua vida, ele disse ao rei moabita:

“Peço-te que deixe meu pai e minha mãe ficarem convosco, até que eu saiba o que Deus fará comigo.” (I Sm 22.3)

Naquele momento, Davi não sabia, mas ele ia se tornar o rei mais aclamado de Israel, e de sua descendência viria o sangue da Realeza na terra.

A jovem judia, Ester, órfã de pai e mãe, criada por seu primo Mordecai, não podia imaginar que um dia seria rainha da Pérsia e que com isso, Deus estava preparando o cenário que tornaria possível o livramento dos judeus do massacre que Hamã intentava.

O apóstolo Paulo após discorrer sobre o extraordinário plano de Deus para a salvação de judeus e gentios, cheio de admiração inexprimível, rompe em um brado de louvor, perplexo pela profundidade da riqueza, da sabedoria e do conhecimento de Deus, ele diz:

“Quão insondáveis são os seus juízos, e quão inescrutáveis, os seus caminhos! Pois, quem conheceu a mente do Senhor? Quem se tornou seu conselheiro? Quem primeiro lhe deu alguma coisa, para que lhe seja recompensado?” (Rm. 11.33b-35)

Paulo está dizendo que ninguém pode sondar ou investigar os desígnios de Deus antes que Ele mesmo revele, que Deus não recebe conselho de ninguém, que não há um único ser que diga a Ele a maneira como deve proceder, Ele é Sábio e Poderoso para executar toda a Sua vontade. O Senhor opera, Majestoso e Sublime, no Seu governo soberano sobre o mundo, mas também na vida de cada ser humano individualmente.

No Salmo 139, Davi se mostra assombrado com o conhecimento exaustivo que Deus possui sobre sua vida, ele diz que o Senhor o sonda de tal forma que conhece todos os seus pensamentos (v. 2) e antes mesmo de pronunciar alguma palavra, Deus, antecipadamente, sabe o que ele vai falar (v. 4). Ele se espanta pelo fato de não poder fugir dos olhos perscrutadores de Deus (v. 7), pois, se subir ao céu, Deus está lá, se descer as profundezas, ali Ele também está (v. 8), se fugir para as extremidades do mar, também O encontrará ali (v. 9), mesmo se as trevas o encobrir, ainda assim não poderia se esconder de Deus, pois Ele enxerga do mesmo jeito, seja na luz, seja na escuridão (v. 11-12). Davi ainda exprime sua admiração pela forma esplêndida com que Deus o criou e pelo fato dEle ter determinado o tempo de sua vida neste mundo ordenando um número exato de dias, quando ainda nenhum deles existia (v. 16).

Esse conhecimento formidável que Deus possui sobre a vida de Davi, é o mesmo que Ele possui sobre cada uma de nós. É isso mesmo! Deus conhece minuciosamente nossa vida desde a concepção no ventre até o último suspiro que daremos. Nossa vida foi planejada desde a eternidade por uma mente infinitamente sábia e bondosa, hoje, não podemos entender muitas coisas que nos acontece, mas um dia tudo se tornará claro para nós. O puritano John Flavel, tratando desse assunto, escreveu:

“Quando chegarmos ao céu, veremos não apenas que é um lugar lindo, mas também veremos a beleza do caminho pelo qual viemos. É como ver as diferentes partes de um relógio. Primeiro, nós vemos todas as peças separadas, e a seguir o relógio montado, onde cada parte funciona juntamente com todas as outras. Quão belo será ver, de uma só vez, todo o plano da providência e a razão exata para cada ato de Deus. Apesar de nossa visão presente ser tão pobre comparada com aquela que teremos no céu, ainda há tanta doçura nela que posso chamá-la de “um pouco do céu’”.1

O compositor e cantor Stênio Marcius, usa outra ilustração para tratar da providência misteriosa de Deus em nossas vidas. Na música “O Tapeceiro”, ele diz:

Tapeceiro
Grande artista
Vai fazendo o seu trabalho
Incansável, paciente
No seu tear

Tapeceiro
Não se engana
Sabe o fim desde o começo
Trança voltas, mil desvios
Sem perder o fio

Minha vida é obra de tapeçaria
É tecida de cores alegres e vivas
Que fazem contraste no meio das cores
Nubladas e tristes

Se você olha do avesso
Nem imagina o desfecho
No fim das contas
Tudo se explica
Tudo se encaixa
Tudo coopera pro meu bem

Quando se vê pelo lado certo
Muda-se logo a expressão do rosto
Obra de arte pra honra e glória
Do Tapeceiro

Quando se vê pelo lado certo
Todas as cores da minha vida
Dignificam a Jesus Cristo
O Tapeceiro.

A semelhança dos personagens bíblicos que citamos e de todos os seres humanos, nós não sabemos como será o nosso futuro nesse mundo, mas quem disse que nós precisamos saber? O que realmente precisamos é confiar Naquele que conduz a nossa vida. Aquietemos o coração e lancemos sobre o Senhor todas as nossas ansiedades, porque Ele tem cuidado de nós (I Pe. 5.7).

Encerro com um trecho do poema “Sometime” de Mary Riley:

"Um dia, quando todas as lições da vida forem aprendidas,
e o sol e as estrelas se recolherem para sempre,
as coisas que os nossos fracos julgamentos aqui desprezaram,
as coisas sobre as quais nós nos afligimos com cílios molhados,
irão se iluminar à nossa frente, saindo da noite escura da nossa vida,
como as estrelas brilham em tons mais profundos de azul;
e veremos como todos os planos de Deus são corretos,
e como o que parecia reprovável era o amor mais verdadeiro.”

Um dia isso acontecerá, mas um dia, hoje não!


Sonaly Soares

1John Flavel. Se Deus Quiser: Uma versão simplificada do clássico “O Mistério da Providência”. Editora: PES.

Nenhum comentário:

Postar um comentário