10 de novembro de 2015

Sendo contristadas, mas alegres. Como assim?


“Em que vós grandemente vos alegrais, ainda que agora importa, sendo necessário, que estejais por um pouco contristados com várias tentações, para que a prova da vossa fé, muito mais preciosa do que o ouro que perece e é provado pelo fogo, se ache em louvor, e honra, e glória na revelação de Jesus Cristo.” (I Pe 1:6-7)

É uma falácia comum, a de que com a vida cristã todos os problemas se vão e que os cristãos são felizes o tempo todo. Nem tudo é tão perfeito como se afirmam, e o texto acima é uma prova disso. Um cristão é contristado, ou seja, entristecido, perturbado. São coisas que o perturba, o tornando infeliz. Quem nunca se sentiu contristado diante de alguma situação específica?
   
Certamente se você é um cristão, já passou ou está passando por isso. É um fato certo: Todo cristão vai ser contristado! Para entender isso, basta apenas entender o que ele é e o que representa no mundo. Um cristão primeiramente não é nem deste mundo, e por isso, o mundo o odeia. Então, entenda: se você é um cristão, você não é deste mundo, por isso não espere nada de bom dele!

Em toda a história cristã vemos homens e mulheres sendo perseguidos, simplesmente por ser o que eram, por estarem em desconformidade com o mundo pela forma em que viviam – assim aconteceu com o nosso Senhor Jesus!

Os próprios destinatários desta carta estavam sendo perseguidos, e Pedro escreve esta justamente para ajudá-los. Pela graça do Senhor, não apenas estes, mas nós também podemos ser ajudados, se atentarmos para estes preciosos ensinos. Então, prossigamos...

Segundo o texto abordado, há uma causa para o contristar-se - este vem das “várias tentações”. A palavra traduzida como “tentações” realmente significa “provações”. São as várias provações que entristecem a nossa alma! É bom saber que este termo “várias” no grego é o mesmo que Pedro utiliza para descrever a graça de Deus, como “multiforme”. Significa “de muitas cores”, como as várias cores do arco-íris. As provações, portanto vem de diferentes formas e cores, e sua variedade não tem fim. Qualquer coisa em nossa vida que tende a nos perturbar, que toca nas áreas mais sensíveis de nosso ser, pode ser entendida como uma provação. Porém, a forma que devemos enfrentar as provações, abordada por Pedro, parece até contraditória: “Grandemente vos alegrais”. Como assim? Como poderemos ser contristados e, ainda assim, sermos alegres? Isto pode ser paradoxal, mas não contraditório, e entenderemos isto mais adiante.

Antes de tudo precisamos entender o propósito das provações acontecerem na vida do cristão. O próprio apóstolo responde, “Em que vós grandemente vos alegrais, ainda que importa, sendo necessário...” Sendo necessário! Esse é o segredo. É como se ele estivesse dizendo: “Vocês estão enfrentando esta provação, porque é necessária no momento.” Há um principio aqui: Existe um propósito definido para tudo o que acontece em nossas vidas! Nada acontece por acaso ou meramente por acidente. Existe um Deus que rege as nossas vidas, e que determina todas as coisas, segundo o Seu eterno propósito, para a Sua glória e para o nosso próprio bem! Devemos então olhar para as circunstancias com o olhar do nosso Pai celeste. Ele está nos aperfeiçoando! É verdade que “todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus”, e o maior bem é o de sermos conformados à imagem de Seu amado filho Jesus (Rm 8:28-29). Existem imperfeições em nós que precisam ser tratadas, de modo que sejamos mais semelhantes ao nosso Senhor, e por isso, Deus considera que as provações sejam necessárias em nossas vidas.

Mas, às vezes Deus também as permite com o objetivo de nos preparar para algo que teremos mais adiante. Vejamos o exemplo de José. Quantas coisas aconteceram com ele, com um propósito, de o preparar para a excelência da posição que ele ia exercer! Deus estava o preparando por meio das provações. Assim também foi com os vários homens da Bíblia, e da História cristã. Eles foram preparados para a grandeza da tarefa que iriam exercer depois. Sendo assim, podemos afirmar veementemente: Deus sempre sabe o que é melhor pra mim, e sabe o que é necessário no momento!

Pedro ainda continua, “..., para que a prova da vossa fé, muito mais preciosa do que o ouro que perece e é provado pelo fogo, se ache em louvor, e honra, e glória na revelação de Jesus Cristo.” As provações refinam a nossa fé, que é muito mais preciosa que o ouro, porque enquanto este perece, os efeitos da fé permanecem. A fé é tão preciosa que Deus quer que seja absolutamente perfeita, eliminando as coisas que não fazem parte de sua essência. A nossa fé é portanto, provada, purificada por Deus, com as provações. Além disso, a nossa confiança em Deus é desenvolvida, porque quanto mais passamos por estas, quanto mais somos contristados, mais somos levados a confiar! Deus nos leva a confiar Nele nas trevas, quando não podemos ver luz alguma, e embora não vejamos nada, sabemos que Ele está ali, Deus está de alguma forma operando! E assim, somos capazes de permanecer firmes como rochas quando todos à nossa volta sucumbem.

Vale salientar que embora sejam várias as provações, elas são por “pouco tempo”. Há um fim determinado por Deus para elas! Ele é o nosso Pai amoroso, e sabe quanto podemos suportar e enfrentar. Nunca enviará algo que esteja além de nossas forças, e apenas permitirá a quantidade certa, e quando tivermos aprendido, Ele decretará o fim. Por isso, não fique perturbada. Você está nas mãos do Seu Pai! Não fique abatida, é apenas “por um pouco”. Você está nas mãos do seu amoroso Pai, então confie nEle e vá em frente. Diga: “Eu me contento em estar em Tuas mãos, fazer a Tua vontade, é toda minha vontade”.

Tendo em vista tudo isto, o cristão é capaz de ser contristado e ao mesmo tempo ser alegre, porque entende que as provações são necessárias naquele momento, que a sua vida está sendo moldada conforme a imagem de Jesus Cristo, e que Deus sabe realmente o melhor, principalmente quando tem uma grande tarefa a realizar em sua vida mais adiante. A sua fé está sendo aperfeiçoada por Deus, Ele está te levando a confiar mais Nele, e um dia estas provações irão acabar. Além destas coisas, a esperança do cristão é de que o seu Senhor virá, mesmo sem saber quando, Ele virá ao seu encontro. E então, não importa o que ele venha sofrer nesta vida, um dia tudo isso acabará, e ele estará radiante de alegria diante do seu Deus, por toda a eternidade!

Thayse Fernandes.

* Texto desenvolvido a partir do capítulo "Provações", do livro de Martin Lloyd-Jones, "Depressão Espiritual".


8 comentários:

  1. Chorei muito, estou passando por provações no meu casamento, a ponto de desistir.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Compreendo, mas não desista, busque em Deus a força e a esperança.

      Excluir
    2. Amém, esse artigo me ajudou muito a refletir e a em Deus buscar conforto, e em meio a isso q estou passando ainda ver a providência do Senhor.

      Excluir
    3. Olá, Maria Elizabete! Glória a Deus por sua edificação. Mesmo nos momentos mais difíceis precisamos ver a providencia de Deus em nossa vida, pois Ele prometeu que nunca nos abandonaria. Deus te abençoe em Cristo.

      Excluir
  2. Que bela mensagem!
    Que Deus continue usando vocês para edificação de Suas filhas.
    Precisamos de mais e mais meninas que saibam Teologia e usam sua feminilidade para Glória de Deus! Estou simplesmente encantada com o blog. Parabéns

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Juliana!

      Glória a Deus! Que o Senhor nos ajude a crescermos juntas no conhecimento da Sua Palavra a na piedade para manifestarmos ao mundo a Sua glória em nós. Deus te abençoe em Cristo.

      Abraço fraterno!

      Excluir